10 ESCRITORES MAIS BÊBADOS DA LITERATURA BRASILEIRA
















No post de hoje selecionamos aqueles escritores brasileiros reconhecidamente manguaços. Bêbados. Loucos por um mé. Em alguns casos a bebida judiou um bocado a vida deles. Confira neste post os 10 escritores mais bêbados da literatura brasileira:


1 - Bernardo Guimarães: Pois o autor de A Escrava Isaura era desses de beber até cair. Pronto para uma farra e a vida boêmia, o bicho emborcava todas. Algumas histórias sobre a beberagem de Guimarães podem ser encontradas em Herança de Sangue, quando da passagem do autor por Catalão-GO;


2 - Lima Barreto: Apenas muito recentemente, a despeito da vasta bibliografia, o autor veio a ser reconhecido pela potência de sua literatura. Em vida, além da pobreza, o alcoolismo foi um grande drama para ele, levando-o, inclusive ao manicômio, pois à época isso era muito comum com alcoólatras;


3 - Paulo Coelho: Não dá pra dizer que o escritor hoje com cara de tiozão equilibrado já foi de tomar todas, e de todos os tipos e improcedências. Sim, porque não só de chapaços experimentou o mago, também muitos porres. Mas isso no tempo que sua escrita era mais poética, no tempo das canções;


4 - Mário Quintana: Quem também gostava de tomar umas era o poeta Mário Quintana, autor de poesias e frases antológicas sobre a bebida, caso de "beber só por gosto, não por desgosto";


5 - Vinicius de Moraes: Perguntado certa vez sobre seu cachê para recitar e cantar em Porto Alegre ele teria dito “Um bom scotch original já me basta”. O fato é que Moraes era da turma do whisky e sua fama em relação à bebida muitas vezes está também ligada à sua literatura;


6 - João Ubaldo Ribeiro: Teve quem relacionasse a melancolia dos últimos anos de vida do autor com o abandono à bebida, já que em grande parte de sua jornada foi assumindo-se alcoólatra. Ubaldo foi um dos principais nomes da literatura recente;


7 - Hilda Hist: Autora de uma literatura transgressora e provocativa que cada vez mais é trazida à baila nos estudos literários, a poetisa também não deixava por menos na tarefa de emborcar um copo. Alcoólicas é um poema que trata do tema;


8 - Clara Averbuck: Um dos acontecimentos recentes de maior repercussão envolvendo escritores e bebida foi o estupro sofrido pela autora e denunciado pelas redes sociais, quando um motorista de Uber aproveitando-se da bebedeira de Clara cometeu o crime;


9 - Paulo Leminski: A poesia é embriagante diriam uns. Acontece que não são poucos os poetas borrachos. É quase um sinônimo, e o poeta paranaense sempre é lembrado desta relação. Também curtia um trago;


10 - Graciliano Ramos: Outro grande escritor de nossa literatura que também era conhecido por tomar porres homéricos. Pelo jeito o percentual etílico tem sua contribuição para a literatura nacional;



Se gosta de postagens como essa se inscreva em nossa lista para receber nossa newsletter exclusiva- Assinar



122 visualizações