Verdade para poucos. Hemingway e sua lista pessoal para você que também escreve.


"Como um escritor você não deve julgar. Você deve entender " - Ernest Hemingway (21 de Julho 1899 - 2 de Julho de 1961) aconselhou no seu manual sobre como escrever Esquire em 1935 , dirigida a um jovem correspondente mas com base em um encontro da vida real que tinha ocorrido um ano antes. Em 1934, um aspirante a escritor com 22 anos de idade chamado Arnold Samuelson foi ao encontro do seu herói literário, esperando ter alguns momentos com Hemingway para falar sobre a escrita. Filho de produtores de trigo imigrantes noruegueses, ele tinha acabado de completar seu curso de jornalismo na Universidade de Minnesota, mas recusou-se a pagar $ 5 pelo seu diploma. Convencido de que sua educação literária seria melhor sendo aprendiz de Hemingway, ele apanhou boleia num carro de carvão de Minnesota até Key West. "Parecia uma coisa idiota a fazer", Samuelson recordou mais tarde, "mas aos vinte e dois anos de idade, durante a Grande Depressão, não se tem que ter muita razão para fazer coisas." Ele acabou por ficar com Hemingway por quase um ano inteiro, ao longo do qual ele se tornou o único protégé do titã literário. Samuelson registou a experiência e a imensidade da suas aprendizagens num manuscrito que só foi descoberto pela sua filha depois de sua morte em 1981. Foi finalmente publicado como Com Hemingway: A Year in Key West e Cuba (biblioteca pública) - o mais próximo do perfil psicológico do grande escritor.

Logo após a chegada do jovem em Key West, Hemingway concedeu-lhe logo o privilégio para o qual ele tinha viajado e tanto procurava. Em uma das suas primeiras conversas, ele entrega Samuelson uma lista manuscrita e instruí: "Aqui está uma lista de livros que todo o escritor deve ter lido como parte de sua educação ... Se ainda não leu estes livros, simplesmente ainda não está educado. Eles representam diferentes tipos de escrita. Alguns podem aborrecê-lo, outros podem inspira-lo e os outros estão tão bem escritos que o vão fazer sentir que é impossível tentar escrever.

Esta é a lista de obras-primas que Hemingway entregou ao jovem Samuelson: