5 escritores renomados e suas manias estapafúrdias ao escrever




Já se inscreve no blog pra não perder os novos artigos (depois você esquece...) Assinar




Charles Dickens dormia voltado para o norte.

Charles Dickens carregava uma bússola de navegação com ele o tempo todo e sempre voltava-se para o norte enquanto dormia - uma prática que ele acreditava que melhorava sua criatividade e escrita. Autor de romances clássicos como Um Conto de Duas Cidades e Grandes Esperanças, Dickens também foi um crítico social guiado por uma forte bússola moral, que tornou evidente por meio de suas descrições incisivas das condições socioeconômicas de sua época.



Dr. Seuss usava um chapéu quando era bloqueado criativamente.


O autor e ilustrador Theodor Seuss Geisel, mais conhecido como Dr. Seuss, mantinha uma imensa coleção de quase 300 chapéus. Ao enfrentar o bloqueio de escritor, o lugar que o Dr. Seuss ia era seu armário secreto, onde ele escolheria um chapéu para usar até se sentir inspirado. Seus hábitos extravagantes o ajudaram a criar alguns dos livros e personagens infantis mais populares – como Horton Choca um Ovo, Lorax, Como Grinch Roubou o Natal e O Gato da Cartola.





John Steinbeck precisava de duas dúzias de lápis apontados.


John Steinbeck (1902–1968), autor de clássicos como As Vinhas da Ira, A Leste do Éden e Ratos e Homens, gostava de escrever seus rascunhos a lápis. Ele sempre mantinha exatamente duas dúzias de lápis perfeitamente apontados em sua mesa, e era muito específico sobre a marca dos lápis e como eles eram apontados. Sua técnica de escrita precisa resultou em um grande volume de boa literatura, que lhe rendeu um Prêmio Nobel de Literatura e um Prêmio Pulitzer.

Maya Angelou só escrevia em um quarto de hotel.


A renomada autora, poetisa e ativista dos direitos civis Maya Angelou (1928–2014) deixava seu apartamento às 6h e ia para um minúsculo quarto de hotel vazio até as 14h escrever. As únicas coisas que ela levaria com ela eram um bloco de notas, um dicionário, o dicionário de sinônimos Thesaurus de Roget, uma Bíblia, um baralho de cartas e uma garrafa de xerez, e ela pediria que os funcionários do hotel removessem tudo das paredes de seu quarto.

Virginia Woolf escreveu em uma mesa de pé.


Considerada uma das escritoras mais influentes do século 20, Virginia Woolf (1882–1941) escreveu seus clássicos - entre eles To the Lighthouse e Mrs. Dalloway - de uma mesa em pé. Como uma pintora, ela preferia poder se afastar regularmente de seu trabalho para ter uma visão diferente.


Maya Angelou só escrevia em um quarto de hotel.


A renomada autora, poetisa e ativista dos direitos civis Maya Angelou (1928–2014) deixava seu apartamento às 6h e ia para um minúsculo quarto de hotel vazio até as 14h escrever. As únicas coisas que ela levaria com ela eram um bloco de notas, um dicionário, o dicionário de sinônimos Thesaurus de Roget, uma Bíblia, um baralho de cartas e uma garrafa de xerez, e ela pediria que os funcionários do hotel removessem tudo das paredes de seu quarto.



Virginia Woolf escreveu em uma mesa de pé.


Considerada uma das escritoras mais influentes do século 20, Virginia Woolf (1882–1941) escreveu seus clássicos - entre eles To the Lighthouse e Mrs. Dalloway - de uma mesa em pé. Como uma pintora, ela preferia poder se afastar regularmente de seu trabalho para ter uma visão diferente.







Se gosta de postagens como essa se inscreva em nossa lista para receber nossa newsletter exclusiva- Assinar












108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo