top of page

Como escrever um personagem complexo


Não há nada que dê vida à ficção como personagens complexos. Lê-los é uma alegria. Mas escrevê-los… Isso pode ser um pouco mais complicado. Como você torna os personagens memoráveis, tridimensionais? Como você pode fazê-los parecer reais ?


Por que você deveria escrever um personagem complexo?


Escrever personagens complexos e conhecê-los é uma das minhas partes favoritas ao trabalhar em uma história. É onde começo, para onde volto se ficar preso e onde sei que posso me divertir.

Quanto melhor conheço meus personagens de ficção, mais reais eles parecem e mais fácil é escrever para eles. O diálogo flui mais naturalmente, suas ações parecem autênticas e impulsionam a história, e se o enredo ficar pegajoso, sei que é porque não estou escrevendo algo bom o suficiente para que meus personagens queiram se envolver.

Em última análise, começar com personagens complexos pode poupar muito trabalho no processo de escrita e na edição que se segue.



Dicas para escrever um personagem complexo


Então, como é o desenvolvimento do personagem quando você cria personagens complexos? Como você pode garantir que eles sejam realmente interessantes e totalmente formados?

Aqui estão minhas principais dicas para escrever caracteres dinâmicos:

  1. Descubra o que é importante para eles

  2. Passe algum tempo com os personagens para entender suas complexidades

  3. Quando as aparências importam

  4. Explore a história de fundo para escrever um personagem complexo

  5. Use o ambiente dos personagens para desenvolver sua complexidade

  6. Possuir algo real

Espero que você ache isso interessante! Se eles são novos para você e você está se sentindo preso ao tentar criar personagens verossímeis, pode valer a pena tentar.


1. Ao criar personagens, descubra o que é importante

para eles


Se você realmente deseja tornar um personagem complexo, você precisa dar-lhe uma motivação profundamente enraizada. Descubra isso e você estará na metade do caminho.

Descobrir o que realmente importa para meus personagens está no centro de tudo que eles (e eu) fazemos. As motivações dos personagens são a chave quando você escreve ficção.

O que ou quem eles amam? Quais são os seus gatilhos, as suas vulnerabilidades , as coisas em que acreditam ou mais prezam? Se eu souber disso, posso tentar escrever uma história que signifique algo para meus personagens e, por extensão, espero, para meu leitor.

Há algum tempo, escrevi 50.000 palavras de um romance, lutando cada vez mais com ele, até que percebi que o que eu pensava que significaria muito para meu personagem principal, simplesmente não aconteceu.

Com o coração na boca, me afastei do meu laptop e passei um dia conversando comigo mesmo sobre o que e quem era importante para meu protagonista.

Olhei para algumas cenas e vi que uma em particular tinha sido mais fácil de escrever do que as outras. Quando olhei para isso, percebi que estava me concentrando na coisa errada. Mudei para o que eu sabia que ela era apaixonada, e um enredo novo e melhor se encaixou.

A questão é que eu criei essa protagonista maravilhosa e interessante e não a ouvi. Eu deveria saber melhor! Passei anos trabalhando com essa personagem como parte de uma série e a conheço muito bem. Como escritor, você conhece um protagonista com uma vida plena, boas falhas de caráter e uma motivação convincente que pode levá-lo a uma boa história.

Quando voltei ao que sei que significa mais para ela, as coisas fizeram sentido. Eu sabia então que poderia escrever o romance dela e entender como a história progride.

O que ou quem eles amam? Quais são os seus gatilhos, as suas vulnerabilidades, as coisas em que acreditam ou mais prezam?

2. Passe algum tempo com os personagens para entender suas complexidades


Nunca há uma solução rápida aqui. Assim como conhecer pessoas reais na vida real, leva tempo para entender a personalidade de um personagem. Quando você conhece alguém complicado e multifacetado, você não vai entender seu funcionamento interno e seus terrores mais profundos em uma hora.

Sim, você pode definir a cor do cabelo e sua comida favorita no primeiro 'encontro', mas, a menos que você tenha muita sorte, leva tempo para vê-los de verdade. Atenha-se apenas aos traços superficiais de caráter e você não terá nada além de personagens planos.

Use as partes mundanas do seu dia – tarefas domésticas, viagens, caminhadas – sempre que estiver sozinho. Simplesmente sonhe acordado e deixe a criação do personagem tomar forma.

Se você não tem muito tempo livre para si mesmo, o tempo entre bater no travesseiro e adormecer, ou mesmo cinco minutos ao acordar, também pode ser ótimo para isso. Imagine as ações do seu personagem enquanto ele percorre sua vida cotidiana. Certamente o ajudará a criar personagens interessantes.

Brinque com seus personagens


Pode parecer contraintuitivo, mas se você realmente deseja imbuir complexidade em seus personagens, não leve esse processo de conhecê-los muito a sério! Deixe seus personagens jogarem.

Permita-se escapar do mundo real e dê aos seus personagens algo para fazer, mesmo que seja apenas no seu tempo livre. Brinque com um pedaço da trama e veja como eles lidam com isso. Não se pressione para anotar. Mesmo que você esqueça os detalhes, a atitude e as respostas instintivas deles permanecerão com você. E é isso que constrói um caráter profundo. A hora de brincar é de ouro para os escritores.

Escrever ficção é incrivelmente difícil. Os escritores merecem aliviar a pressão quando podemos apenas brincar . Faça com que seus personagens “bons” o animem ou deixe os bandidos despertarem o quanto você os detesta. Então está na sua cabeça quando você precisar.

3. Quando as aparências importam

Raramente entro em longas descrições sobre a aparência das pessoas, mesmo quando apresento um novo personagem. Tentarei causar uma impressão, mas, mais uma vez, incluo apenas uma ou duas coisas que são importantes para eles. Afinal, não é pelas características físicas que nos lembramos de nossos personagens favoritos.

Você quer nos dar alguma pista do que imaginar. Mas se o seu objetivo é garantir que seu personagem pareça real e tridimensional para seus leitores, você pode usar a aparência como outra ferramenta em seu kit. Além de pintar um quadro , acrescente algo que seja importante para o personagem e aposto que isso ajudará a direcionar o modo como ele se comporta.


Não deve se incomodar se um personagem tiver um metro e oitenta e dois e olhos verdes. Mas se ter um metro e oitenta e dois os torna infelizes, ou eles odeiam que seus olhos sejam a cara de seu pai, então, vale a pena colocar isso. Isso nos dá uma pista sobre as camadas que os tornam um personagem interessante.


Não é necessário longas descrições sobre a aparência das pessoas. Tente causar uma impressão, mas inclua apenas uma ou duas coisas que são importantes para eles.

4. Explore a história de fundo para escrever personagens redondos

Esta é outra área onde a pressão diminui e você pode se divertir.

Eu gosto de ser só eu inventando coisas e conhecendo os personagens. Eu não escrevo nada – assim como não faço anotações sobre as pessoas que encontro na vida (isso seria estranho). Os detalhes que impressionam ficarão com você e moldarão a personalidade do personagem.

Mas tente entender por exemplo, numa história em que a personagem se sente compelida a ajudar e por que se acha qualificada para fazê-lo. Tanto uma personagem bom ou ruim de caráter tem um passado que pode evidenciar isso. Ninguém é o que é na vida real pois foi impresso assim na hora assim. Há sempre camadas complexa antes.

Se uma personagem é um ser cheio de um senso de justiça como isso se desenvolveu?

Busque influências que formem a base da forte crença desse personagem virtuoso de que todos têm o direito de ser ouvidos, juntamente com a sua confiança de que pode ajudá-los.

Para conseguir isso, por exemplo, o pai dessa personagem por ser de origem sólida de classe média alta, enquanto a mãe dela vem de uma família boêmia e com motivação política. Depois disso, pode se ter uma base de por que e como ela é quem é. Eu tinha uma personagem completa cuja história geral informa seu comportamento.


5. Use o ambiente dos personagens para desenvolver sua complexidade

O ambiente fala muito dos personagem em si e ajuda compor sua realidade na mente do leitor. Por exemplo: um personagem que trabalha em um escritório escuro e desarrumado; e que está repleto de papéis, livros e tinta derramada, obviamente dá uma impressão imediata do tipo de pessoa que ele é ou ao menos uma sensação crível do que é.

Mais interessante, porém, é colocar uma garrafa de conhaque pela metade em sua estante. É uma dica de sua história e é muito importante para ele. Também é algo sobre o qual ele não fala, veja então basta escrever e deixar o leitor tomar suas conclusões. Deixe que outros personagens do romance (assim como o leitor) façam suas próprias suposições. Um dia eles podem se aproximar o suficiente dele para descobrir. Mas não de bandeja. Os leitores adoram pistas discretas como essas, que podem reunir por si próprios.

Você não precisa explicar tudo – geralmente não sabemos tudo sobre as pessoas reais que nos rodeiam. Às vezes, fazer os personagens parecerem reais e complicados é mais ajudado pelo que não sabemos sobre eles do que pelo que sabemos.

Você não precisa explicar tudo – na vida real, na maioria das vezes, não sabemos tudo sobre as pessoas ao nosso redor.

6. Tenha algo real

Há o risco de isso me fazer parecer um pouco estranho, mas possuir algo que pertence a um personagem em suas histórias é uma maneira tangível de fazê-las parecer mais reais. Isso pode o trazer ao mundo deles e adicionar outra camada de complexidade.

Por exemplo, um par de sapatos vintage da década de 1940 e usar no dia a dia, apenas um exemplo. Ou usar roupas antigas compradas num brechó. O nível de imersão não tem limite e vai depender de você. Há escritores que passaram dias na rua assumindo um grande risco para criar um personagem autêntico das ruas, o que é complicado pois há um risco de vida, mas a riqueza adquirida ao personagem será incrível.

Se você não quer que sua casa fique cheia de pertences de pessoas imaginárias (o que provavelmente é a abordagem mais sensata), as fotos também servem.


A alegria de escrever personagens complexos


Se você ainda não experimentou algumas das ideias acima, espero que possam ser úteis.

Não é uma lista de verificação obrigatória e, para mim, não há prazos ou regras definidas para fazer. Mas esses exercícios e jogos de desenvolvimento de personagem estão na caixa de ferramentas, lembre-se deles e pratique sempre que puder.

Ocasionalmente, tenho sorte e “vejo” um personagem secundário imediatamente. E, claro, todos eles continuam a se desenvolver e a ganhar complexidade à medida que escrevo o livro. Mas certamente para os personagens principais, adoro passar tempo com eles fora das páginas. Esse tempo é sempre bem gasto.

Às vezes tenho conversas com leitores que, se ouvidas, provavelmente soam como se estivéssemos falando de pessoas reais – esses personagens são tão cheios de camadas e complexos. Quando isso acontece, quase consigo ouvir os personagens se juntando a nós na minha cabeça.

Depois de todo o tempo que passei com eles, isso é o melhor de tudo.



 




100 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page