O Leopardo


O Leopardo de Tomasi de Lampedusa por Alexandre Boure

Acho Fundamental a leitura dos clássicos, embora O Leopardo seja pouco lembrado. Mas não é justo ser um romance ofuscado. O Leopardo tem uma narrativa que flui com sua polpa maltrapilha, mas em seu realismo é perfeita ou quase.

Giuseppe Tomasi foi um príncipe de verdade. E o que vamos esperar de um príncipe escritor senão enfado? Pois não. Tomasi se apropria do romance que se propõe a narrar. Desde o ínicio ele domina a narrativa que é um dos melhores feitos do realismo, Sua descrições revelam uma Sicília sob um Sol intermitente, há um pessimismo e aceitação que o protagonista revela com a sutileza de um príncipe cansado. Poderia ser um romance muito chato que trata da decadência da aristocracia, e ascensão de uma possível República. Onde? Na Sicília.

Com bela imagens, Tomasi é afinado na manutenção de seu protagonista e em sua visão de mundo, ou mundo Siciliano. E certamente concluída a leitura temos certeza que Tomasi deve listar ao lado de grandes obras do realismo.


1 visualização