Como melhorar sua Escrita com o Mestre Stephen King - e no fim vamos enviar um ebook pra você


A história de Stephen King seria muito diferente se não fosse sua esposa, Tabitha.

Por muitos anos, King varou madrugadas escrevendo contos e tentando ser publicado. Trabalhou até de tintureiro para sustentar a si e à família. E chegou a jogar fora o manuscrito de Carrie, a estranha – que viria a ser seu primeiro sucesso.

Carrie, aliás, rendeu um retorno inesperado ao autor. 2500 dólares de adiantamento dos direitos autores e, depois, US$ 200 mil pela brochura.

Seus livros viraram filmes de grande sucesso, como o próprio Carrie a Estranha, ou O Iluminado e Um sonho de liberdade. E, como não lembrar, o recente boom do remake de It, a coisa.

Mas todo este sucesso não é gratuito. Tem um preço.

Como Stephen King alcançou o sucesso?

King costuma escrever 10 páginas por dia. Seja nos dias de Natal ou Ano Novo, ele está na labuta. O que explica suas dezenas de romances e centenas de contos. Talvez também explique seus mais de 350 milhões de exemplares vendidos no mundo.

Sua disciplina o leva a aconselhar: “coloque sua mesa em um canto e, todas as vezes em que se sentar para escrever, lembre-se da razão de ela não estar no meio da sala. A vida não é um suporte à arte. É exatamente o contrário”.

Porém muito longe de se considerar alguém virtuoso, Stephen King já passou por poucas e boas. Inclusive foi alcóolatra e viciado em drogas. Chegou a admitir que não tem lembrança alguma da escrita de alguns de seus livros da década de oitenta.

Só houve um momento em que King parou de escrever.

Sobre a escrita, de Stephen King, e o que fez ele parar de escrever