Por que quero ser escritor?


É bem provável que essa pergunta já passou por sua cabeça mesmo que não tenha concluído seu primeiro livro. Talvez a resposta não venha tão cedo, não inteiramente, completinha. A verdade que ser escritor não difere em ser qualquer outra coisa. As chances de um grande sucesso são quase as mesmas.

Mas devemos lembrar que vivemos em um momento que o tempo é insubstituível e muitas vezes baterá aquela dúvida sobre ser saudável ou não continuar a escrever. Bem, vamos falar do tempo em relação a escrita. Ele é fundamental para o desenvolvimento; sem tempo não há como desenvolver um livro, é fato. É preciso de um montante de horas para se fazer um livro e esse tempo não volta de fato. O tempo ficará perpetuado em seu livro.

Mas e se esse livro não vender nada e ninguém se importar?

É de se esperar que haja muito receio a lançar um livro. As pessoas não saem simplesmente correndo atrás de livros de autores desconhecidos, não há como negar. Então deve se ter maturidade, pois as vendas serão em princípio poucas e é bom que se reconheça isso o quanto antes. Uma coisa importante também é não pegar esse livro que representa você e teve o custo de seu tempo e pô-lo de qualquer maneira no mercado. Depois de pronto, cuide para que tenha uma boa capa, “esteja bem vestido”, a capa do livro é sua roupa. Você não apresentaria sua nova namorada ou namorado à sua família com uma roupa maltrapilha, não é? Não deixe que ele vá as mãos de seu leitor com erros por falta de revisão, invista um pouco (aliás é um só investimento para um livro que será público e representará você para sempre.) Mas continue comigo... Voltemos ao ponto em que você está com medo do livro não ter a atenção que acredita merecer. Imagine que seu livro vendeu só 20 exemplares e você pensa: “Isso foi pura perca de tempo.” Você pode estar certo. Mas será que é o correto a se pensar?! Bem, vamos ver uma coisa.

E o que aconteceu com esses vencedores?!

J.K. Rowling

Uma das escritoras mais famosas do mundo seu histórico de rejeição foi bastante divulgado. Mas lembre-se, a autora de Harry Potter teve o manuscrito do primeiro livro recusado não uma ou duas vezes, e sim 12 vezes! Até que uma editora resolveu dar a chance e voilá! virou um fenômeno rapidamente no mundo inteiro, com série de livros, filmes, brinquedos, roupas, peça de teatro e até mesmo parques temáticos. Hoje talvez J k Rowling ponha a cabeça no travesseiro e pense no medo e dúvida que teve ao escrever lá no início dessa exuberante história de sucesso. Algo que saiu da sua cabeça e de sua solidão, algo que só ela acreditava a levou a deter mais 3 bilhões de reais em direitos autorais!

Agatha Christie