Antes de desistir de ser escritor saiba que tem gente que fatura alto com ficção só vendendo ebooks


Bem você pode encontrar dados desanimadores sobre ser escritor no Brasil, mas em qualquer pesquisa em outra profissão você poderá encontrar dados desanimadores. A verdade é que as pesquisas e dados do mercado de venda de livros é muito conservadora no Brasil. Quando falamos de ebooks quase não temos estatísticas, mas com uma pesquisa mais refinada descobrimos que a realidade pode ser muito mais otimista do que se imagina. Autores nacionais que você nunca ouviu falar podem ter conquistado renda de mais de R$ 15.000,00 mês. É o caso da escritora Janice Diniz, que pública ebooks pela Amazon. abaixo segue uma entrevista com a autora.

45 livros publicados. A cada história, enredos e personagens que arrancam suspiros dos apaixonados por bons romances. As semelhanças? Os protagonistas masculinos são cowboys. A autora desses livros? Janice Diniz, conhecida como a “Rainha dos Cowboys Brasileiros”. O estilo de vida rústico torna-se cenário para personagens marcantes, com muita sensualidade, personalidade – muitas vezes durona – e paixão.

Janice Diniz escreve, exclusivamente, romances de cowboys, tornando-se uma especialista no gênero. Os livros são, predominantemente, lançados em formato e-book pela Amazon. Após o sucesso de leituras na plataforma online – são mais de 15 milhões visualizações –, Janice lança em julho seu primeiro livro em formato físico: Bruto e Apaixonado, pela Harlequin Books. As histórias prometem muito romance com pitadas de erotismo e comédia.

São diversas séries, como Matarana, Cowboys de Santa Fé, Os Brutos e Cowboys de Sacramento. Estar entre os mais vendidos já se tornou costumeiro; os romances escritos por Janice Diniz se encontram entre os 100 mais vendidos da Amazon desde 2014, nas categorias de Romance Erótico e Comédia Romântica. Atualmente, Sonho de Amor é o 16º e-books mais vendido na Amazon na Categoria Romance. Os livros da autora podem ser encontrados em sua página na Amazon.

Como decidiu começar a escrever?

Janice Diniz: Escrevo desde os meus 15 anos, não foi uma decisão objetiva, simplesmente aconteceu.

Seus livros trazem histórias de cowboys. Quais motivos levaram a decisão de escrever esse tipo de história?

Janice: Eu me identifico com o estilo de vida rústico, simples e cercado pela natureza desse tipo de personagem.

Como é o seu processo de escrita? Onde busca ideias para seus livros?

Janice: É bastante metódico, escrevo todos os dias, e utilizo anotações de esquemas da trama, de cada capítulo e especificamente das cenas.

Por serem histórias de cowboys, os cenários, roupas e hábitos são específicos. Qual a maior dificuldade na hora de escrever?

Janice: Nenhuma, vivi no Mato Grosso, que é o cenário das minhas histórias. E, como os romances são contemporâneos, basta uma boa pesquisa para preencher as lacunas do que eu ainda não sei.

E quais características esses “cowboys brasileiros” tem que ter?

Janice: Cada caubói é um personagem diferente com suas características específicas, mas a lealdade (ou seja, nunca são infiéis) é inerente a todos eles.

Por que decidiu publicar, a principio, no formato digital?

Janice: Foi uma estratégia para alcançar um público maior.

Em julho lança pela Harlequin Bruto e Apaixonado, seu primeiro livro físico. Há diferenças na maneira de escrever dependendo do formato de publicação?

Janice: Nenhuma diferença.

Os livros têm cenas eróticas. É difícil construir essas cenas sensuais?

Janice: Não é difícil, porque elas estão sempre dentro de um contexto maior que o sexo em si.

Nos livros que escreve, o erotismo se mescla com traços de comédia romântica. Como equilibrar esses dois aspectos?

Janice: São os personagens que dão o ritmo da história, portanto, há momentos para tudo, para a comédia, o drama, o romantismo e o erotismo.

Seus livros têm muitas avaliações positivas e mais de 15 milhões de visualizações na plataforma online. Qual o segredo para escrever bons romances?

Janice: Acho que a melhor resposta é: dom, vocação e trabalho duro.

É comum encontrar histórias em que a relação do casal é como “gato e rato”, há brigas porém a química é visível. É uma fórmula que funciona na hora escrever romances?

Janice: Funciona como um elemento para apimentar a trama, só isso (e se os personagens forem bem desenvolvidos). Mas não serve, por exemplo, para estruturar o enredo em si.

Nomes conhecidos da literatura internacional, como Diana Palmer, escrevem sobre cowboys. E você é conhecida pelas leitoras como a “Rainha dos Cowboys Brasileiros”. Como enxerga o cenário nacional para publicação desse estilo?

Janice: A Harlequin procurou o meu agente em razão do meu número de vendas e a abrangência do meu público com livros de caubói. Coincidentemente ou não, eu e a Diana Palmer pertencemos a mesma editora. Acredito, portanto, que o mercado está muito bom. Mas ainda não temos escritores que se dediquem, como eu, a ser “especialista” em caubói.

Busca inspiração em quais autores?

Janice: Fernando Sabino, Janet Dailey, Marguerite Duras e um monte de gente do século XX.

Quais conselhos daria para quem está em busca de publicação?

Janice: Publica pela Amazon, cria o seu público, aprenda a divulgar o seu trabalho, escreva muito, tenha paciência, mande o ego às favas e espera que a coisa acontece, nem que seja para você se tornar autor indie, o que também é muito bom. Ruim é não publicar e, consequentemente, não ser lido.

Tem novos projetos de escrita?

Janice: Seguir com a Trilogia Lancaster, Bruto e Apaixonado é o volume 1, e continuar os lançamentos da coleção Cowboys de Sacramento, que já está no seu sexto livro, todos digitais na Amazon.

Se gosta de postagens como essa se inscreva para receber nossa newsletter - Assinar

#ebookamazon #bestselller

0 visualização